Terça-feira, 19 de Junho de 2012

Um poema inédito: Mobília

Alcohol_Poem_by_BlackHug

 

 

mobília

 

nunca me dei bem com o poema; ele sempre

quis ser autónomo em relação às palavras que escolhi.

houve vezes em que quis ser um número,

um soldado, um deus;

outras vezes escondeu-se no lado negro

de cada vocábulo da razão, num

comportamento menos literário e pouco ético.

o problema do meu poema

é querer ser poema

quando eu sempre quis que fosse algo livre, com

consciência alargada e regras naturais:

um significado oculto, um atraso a um encontro amoroso,

uma consequência imprevisível, algo assim.

nunca me dei bem com o poema,

embora nunca o tenha, de todo, conseguido evitar.

 

Tiago Nené

(poema inédito)

 

imagem: Alcohol Poem, de BlackHug

publicado por tiagonene às 19:22
link do post | comentar | favorito
|
Tiago Nené

Cria o teu cartão de visita
Tiago Nené, poeta português, editou os livros de poesia: "Versos Nus" em 2007
"Polishop" em 2010
"Relevo Móbil Num Coração de Tempo" em 2012.
Vive em Faro e é advogado.

pesquisar

 

posts recentes

Gestação / Poem In Progre...

Poema inédito: Noto

Poeta Convidado

Um poema inédito: Mobília

Poema de valter hugo mãe

Polishop

Pedro Vieira e o "irmaolu...

"Algarve - 12 Poetas a Su...

Abade de Jazente / Poema

Uma Antologia de Poesia d...

arquivos

Julho 2012

Junho 2012

Abril 2012

Março 2012

etiquetas

crítica

eventos literatura

imagens

poemas de outros poetas

poemas tiago nené

polishop

tiago nené

tiago nené livros

traduções tiago nené

vídeos

todas as tags

links

subscrever feeds

mais sobre mim